Rádio Alto Minho

PUBLICIDADE

Rádio Alto Minho - INSOMNIA
Rádio Alto Minho - Misturacor
Rádio Alto Minho - Roady
Rádio Alto Minho - MCostas – Seat
Locutor
No Ar

Rádio Alto Minho

Manifestações contra vaga de incêndios mobilizam o país

de Rita Coelho (RAM)

atualizada às 11:33,Ter, Outubro, 2017

PUBLICIDADE

Multiplicam-se nas redes sociais dezenas de eventos de protesto por todo o país para os próximos dias contra os incêndios que assolaram o centro e norte de Portugal.

Já esta terça-feira, dia 17 de outubro, decorrem dois em Lisboa. O evento “Todos a Belém”, criado por Paulo Gorjão no Facebook, acontece às 19:30 horas em frente ao Palácio de Belém. “Vamos fazer sentir com a nossa presença a repulsa pelo que está a ocorrer e disso dar conta ao Presidente com a nossa presença. Chega de inação”, lê-se na página do evento. Há neste momento cerca de 938 confirmações.

No mesmo local e à mesma hora irá também decorrer o protesto “Vão de férias – Protesto Civil e apartidário” criado por Jorge Granate Rosa Santos, Frederico Granate Rosa Santos, Francisco Ortigão Costa, Nuno Pereira da Cruz, Teresa Mendonça e Jaime Amores. Para o evento foram convidadas mais de 14 mil pessoas e até ao momento já 874 confirmaram a presença.

Uma das áreas mais afetadas por esta vaga de incêndios foi Leiria onde na quarta-feira, dia 18 de outubro, vai decorrer o evento “Todos Juntos Pela Reflorestação do pinhal de Leiria” às 21 horas, na Praça Rodrigues Lobo. Os organizadores Sérgio Espirito Santo, Miguel Chagas II, João Fonseca e Gonçalo Lopes apelam na descrição do evento a que os participantes levem uma t-shirt branca “Vamos todos dar as mãos para mostrar que juntos somos mais fortes. Levem T-SHIRT branca se possível, mas o importante é estar presente. Vamos nesse dia dar a conhecer alguns passos a dar e ouvir as vossas ideias”. Estão confirmadas até ao momento 2 mil e 400 pessoas.

Para Braga, onde arderam mais de 200 hectares nos últimos dias, está agendada uma concentração para sexta-feira, dia 20 de outubro, às 18 horas, na Avenida Central.  A iniciativa, criada por Inês Sampaio e Vasco Santos, intitulada “Incêndios, até quando? Concentração em Braga”, conta até ao momento com a participação de 46 pessoas, ainda que 116 tenham mostrado interesse na iniciativa.  “O país está todo a arder, vários mortos e feridos, entre seres humanos e animais. Casas ardidas, floresta, centenas de postos de trabalho em zonas do interior em causa… a pergunta que se coloca é: não vamos fazer nada? Aceitamos isto como natural? Não nos manifestamos a exigir respostas de um governo que nada diz nem faz?”, pode ler-se nos detalhes da iniciativa.

No sábado, dia 21, o evento “Basta! Por um Futuro Sustentável!” organizado pelo Movimento Fénix – Renascer das Cinzas terá lugar na Assembleia da República e nas sedes de concelho às 18 horas. “O nosso desejo é que as inúmeras teorias já apresentadas e discutidas resultem num PACTO NACIONAL que envolva todas as entidades responsáveis, tenham elas as siglas que tiverem, que surtam efeitos imediatos, mas ainda mais importante, que sejam promotoras de resultados a muito longo prazo”, refere o movimento. O evento tem 87 confirmações e cerca de 260 pessoas demonstraram interesse em aparecer.

O mesmo evento irá decorrer em Coimbra, organizado por André Leal, Sílvia Franklim e Rebeca Moore, e conta até ao momento com o interesse de 85 pessoas.

Ainda no sábado, um pouco por todo o país, estão marcadas manifestações silenciosas.

Rui Maria Pêgo organizou o evento em Lisboa ao qual deu o nome de “Manifestação Silenciosa Portugal Contra os Incêndios (Lisboa)”. O locutor da Mega Hits refere na descrição do evento que é necessária uma mudança nas politicas de prevenção “É altura de nos unirmos. O país está de rastos com mais uma vaga de incêndios. Queremos ver mudança nas políticas de prevenção! Junta-te a nós nesta demonstração pública pacífica. O futuro começa agora”. A manifestação silenciosa em Lisboa terá início às 16 horas na Praça Luís de Camões. Até ao momento mil e 800 pessoas já confirmaram a presença, sendo que cerca de 10 mil têm interesse no evento.

Mais a Norte, no Porto, a manifestação semelhante “Manifestação Silenciosa: Portugal Contra os Incêndios (Porto)” está marcada para as 16 horas na Avenida dos Aliados. A iniciativa criada por Maria Souto, Sílvia Silva, Susana Brandão, Joana Caçador e Verónica Pinto, conta já com a confirmação de 2 mil e 500 pessoas, e o interesse de 12 mil.

Esta manifestação terá também lugar em Braga, Viseu e Coimbra. O evento criado por Miguel Fonseca, em Braga, terá presente 340 pessoas, sendo que mil e 700 têm interesse em comparecer. Em Viseu estarão presentes 70 pessoas, na manifestação criada por Paulo Pinheiro, já em Coimbra, conta até ao momento com o interesse de 105 pessoas.

Estão previstos para Viana do Castelo três eventos. Os dois primeiros irão decorrer sábado, dia 21 de outubro, às 16 horas. A manifestação “Salvar Portugal (Viana do Castelo)” criada por Ana Macedo e Bibiana Dias não tem qualquer conotação política “Viana deve fazer parte desta onda de manifestações em todo o país. Estamos todos cansados de ver Portugal ser pasto das chamas… Não podemos aceitar que se continuem a plantar eucaliptais em favor de interesses económicos e em desfavor das vidas! Sem conotação politica de qualquer espécie. Esta manifestação é por Portugal!” e  terá lugar na Praça da República. Há mesma hora no Campo da Sra. da Agonia irá ocorrer uma manifestação silenciosa “Portugal contra os Incêndios” criada por Domingos Samico e que faz parte um movimento nacional. No domingo, dia 22, está marcada a manifestação “STOP Incêndios” na Avenida dos Combatentes da Grande Guerra.

As manifestações que têm como mote as centenas de incêndios que deflagraram nos últimos dias, com destaque para domingo, dia 15 de outubro, o pior dia de fogos do ano, e que provocaram pelo menos 36 mortos, sete desaparecidos, 62 feridos, dos quais 15 graves, além de terem obrigado a evacuar localidades, realojar populações e cortar o trânsito em dezenas de estradas.

Os eventos que circulam nas redes sociais em Portugal surgem também na sequência da manifestação que ocorreu na segunda-feira, dia 16, na Galiza, em que milhares de pessoas saíram à rua para protestar contra a Junta da Galiza devido aos incêndios que também tiveram início no domingo e fizeram quatro mortos.

Fotografia principal de João Pinto.

RAM -
RAM -
RAM -

PUBLICIDADE

Blisq Creative