Estamos a melhorar a sua experiência no nosso site.
Novidades brevemente!

Rádio Alto Minho

PUBLICIDADE

Desentupimentos e Limpeza de Fosas, Assistência a Caldeiras, Detecção de Fugas de ÁguaDesentupiemntos Industriais e DomésticosAssistência Cladeiras e Esquentadores
Rádio Alto Minho - MCostas – Seat
Rádio Alto Minho - INSOMNIA
Rádio Alto Minho - Roady
Locutor
No Ar

Rádio Alto Minho

Ibuprofeno aumenta o risco de infertilidade nos homens?

de ram (RAM)

atualizada às 10:17,Ter, Janeiro, 2018

PUBLICIDADE

Estudo publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences associa a toma deste comum fármaco a potenciais riscos de infertilidade no sexo masculino.

 

Usado comummente para combater dores e inflamações, o ibuprofeno é um dos fármacos mais consumidos um pouco por todo o mundo, contudo, os seus efeitos colaterais têm sido frequentemente alertados por parte de médicos e cientistas e sabe-se, agora, que há mais um motivo de preocupação.

De acordo com um estudo realizado por investigadores da Universidade de Copenhaga (na Dinamarca) e Universidade de Rennes 1 (França), e publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, a toma de ibuprofeno está relacionada com um aumento da sensação de fadiga e também com um maior risco de disfunção erétil, baixando os níveis de testosterona nos homens, conta o site britânico Metro. A saúde testicular fica em risco.

Depois de analisarem ao longo de seis semanas o impacto do medicamento em 31 jovens com idades entre os 18 e os 35 anos, os cientistas concluíram que este analgésico interrompe a produção natural da hormona sexual masculina. Em seis semanas, os níveis de testosterona caíram um quarto.

Mas não só. Uma vez que a produção normal desta hormona nos testículos ficou comprometida por causa do medicamento, os jovens que tomaram duas doses de 600 mg deste fármaco ao longo de duas semanas entraram num estado chamado de hipogonadismo compensado, que acontece quando o corpo faz um ‘esforço extra’ para compensar os níveis hormonais baixos, aumentando a produção da hormona luteinizante. Porém, este estado diminui a funcionalidade dos testículos, prejudicando – mais uma vez – os níveis de testosterona, que ficaram 18% mais baixos.

Os jovens que tomaram placebo – e que serviram de grupo de controlo – mantiveram os níveis normais de testosterona.

RAM -
RAM -
RAM -
RAM -

PUBLICIDADE

Blisq Creative