EMISSÃO ONLINE
OUVIR
Regional

Autarca de Tui leva saco de entulho a Madrid para protestar contra falta de apoio do Governo espanhol

Andrea Cruz

07 Novembro 2018, 15:23

Acessibilidade

Publicidade

Carlos Vázquez Padín, o alcaide de Tui, levou hoje um saco de entulho até Madrid para protestar contra a falta de apoio do Governo espanhol à operação de limpeza dos destroços de um armazém ilegal de material pirotécnico que explodiu em maio

“Queremos que o Governo espanhol assuma os seus compromissos e inicie a limpeza da zona afetada pela explosão”, disse Carlos Vázquez Padín aos jornalistas à porta do Ministério da Política Territorial espanhol.

O autarca reclama que houve “vários compromissos verbais sobre a limpeza da zona e remoção dos escombros” feitas pelas autoridades nacionais.

“Já fizemos uma primeira parte do trabalho de remoção dos destroços” e também “entregámos em setembro um projeto de limpeza da zona”, explicou o autarca.

Um armazém clandestino de material pirotécnico explodiu em 23 de maio último no bairro da Torre de Paramos, concelho de Tui, tendo duas pessoas morrido e 37 ficado feridas.

O acidente também teve como consequência que 31 casas foram totalmente destruídas e 300 danificadas, afetando um total de 800 pessoas.

“É fundamental que se inicie rapidamente a limpeza da zona para que na primavera se possa iniciar a reconstrução das casas destruídas”, disse Carlos Vázquez Padín, que considerou a deslocação a Madrid com um saco de entulho da “zona zero” da explosão da fábrica como um “ato simbólico”.

O autarca acusou ainda o Governo central espanhol de “falta de lealdade institucional” por não ter respondido a nenhuma carta ou correio eletrónico enviado pela Câmara Municipal de Tui.

“No início, o atraso de Madrid era justificado pela mudança de Governo [em 02 de junho último], mas agora essa justificação já é pouco válida”, concluiu o presidente da autarquia.

O proprietário do armazém clandestino está em prisão preventiva desde maio. Além daquele armazém, Francisco Lameiro detém ainda uma fábrica de pirotecnia, situada na localidade de Baldráns, entretanto selada pela polícia.

O homem encontra-se indiciado pela prática dos crimes de homicídio por negligência, danos e lesões por negligência, risco de catástrofe e posse ilegal de explosivos.

Publicidade

Rádio Alto Minho - Census – noticia
Rádio Alto Minho - BLISQ CREATIVE – Soluções de Web design, Publicidade e Marketing
Rádio Alto Minho - Lusomotor
Rádio Alto Minho - QUEEN (individual)
Rádio Alto Minho - Eugenia Lopes (individual)

Publicidade

Rádio Alto Minho - Cerqueira’s
Rádio Alto Minho - Biojaq NOTICIAS individual
Rádio Alto Minho - Eletro Borlido
Rádio Alto Minho - Valentim

Siga-nos

Comentários

Publicidade