Estamos a melhorar a sua experiência no nosso site.
Novidades brevemente!

Rádio Alto Minho

PUBLICIDADE

Desentupimentos e Limpeza de Fosas, Assistência a Caldeiras, Detecção de Fugas de ÁguaDesentupiemntos Industriais e DomésticosAssistência Cladeiras e Esquentadores
Rádio Alto Minho - Roady
Rádio Alto Minho - MCostas – Seat
Rádio Alto Minho - INSOMNIA
Locutor
No Ar

Rádio Alto Minho

Lançado concurso público de sete milhões de euros para construir acessos ao porto de mar

de Andrea Cruz (RAM)

atualizada às 16:45,Qui, Maio, 2018

PUBLICIDADE

A Câmara de Viana do Castelo aprovou, hoje, por unanimidade, em reunião ordinária do executivo a abertura do concurso público para a construção dos acessos rodoviários ao porto de mar da cidade com um preço base de sete milhões de euros.  O executivo municipal aprovou ainda o protocolo que o município celebrou, em janeiro de 2017, com a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), para a construção daquela via com 8,8 quilómetros, que ligará o porto comercial ao nó da autoestrada 28 (A28) em São Romão de Neiva, permitindo retirar o tráfego de pesados do interior de vias urbanas, com base num projeto concluído em 2008.

A proposta da maioria socialista, hoje aprovada pelo executivo municipal. refere que “o projeto de execução da obra está concluído e estão reunidas as condições necessárias para o desenvolvimento da obra, através do protocolo adicional na comparticipação financeira da APDL e do município de Viana do Castelo, sem embargo de futura candidatura a financiamentos comunitários”.

“O porto de mar, infraestrutura marítimo-portuária com capacidade instalada para movimentar cerca de 900.000 toneladas de carga por ano, é um elemento âncora para o desenvolvimento da Região de Viana do Castelo”, lê-se no documento.

Para a autarquia, aquela infraestrutura assume-se como “uma plataforma de internacionalização do tecido económico desta região, sendo fator de atratividade de novas empresas e indústrias que se queiram instalar no Alto Minho”.

A autarquia da capital do Alto Minho sublinha ainda que aquela empreitada, reclamada há mais de uma década, “é fundamental para o reforço da capacidade operacional e para garantir o crescente aumento de movimento do porto comercial, em especial, das exportações, resultante da dinâmica comercial das empresas instaladas na região”.

RAM -
RAM -

PUBLICIDADE

Blisq Creative