Estamos a melhorar a sua experiência no nosso site.
Novidades brevemente!

Rádio Alto Minho

PUBLICIDADE

Desentupimentos e Limpeza de Fosas, Assistência a Caldeiras, Detecção de Fugas de ÁguaDesentupiemntos Industriais e DomésticosAssistência Cladeiras e Esquentadores
Rádio Alto Minho - MCostas – Seat
Rádio Alto Minho - INSOMNIA
Rádio Alto Minho - Roady
Locutor
No Ar

Rádio Alto Minho

O vento tardou mas não falhou no GKA Kitesurf World Tour no Cabedelo

de Andrea Cruz (RAM)

atualizada às 23:43,Ter, Junho, 2018

PUBLICIDADE

O vento tardou mas não falhou do GKA Kitesurf World Tour no Cabedelo. No último dia da etapa de Viana do Castelo, a terceira do Kitesurf World Tour, o vento soprou e permitiu apurar premiar os quatro primeiros classificados masculinos e femininos, com mais de 20 mil euros.



Em femininos, a atleta Whyte Moona, do Hawaii, ficou em primeiro lugar e ganhou 2.600 euros de prémio. A Holandesa Jalou Langeree, subiu ao segundo lugar do prémio e arrecadou 1.950 euros de prémio.

Em terceiro lugar ficou a espanhola Carla Herrera (1.300 euros) e, em quarto, a portuguesa Inês Correia que conquistou um prémio monetário de 650 euros.

Em masculinos, o primeiro classificado foi o cabo-verdiano Matchu Lopes que arrecadou 5.500 euros. Em segundo lugar ficou Airton Cozzolino, que conquistou 4.172 euros, em terceiro o australiano Keahi de Aboitiz (2.275 euros) e, em quarto, outro cabo-verdiano, Mitu Monteiro que ganhou 1.616 euros.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo marcou cerimónia de entrega de prémios, que decorreu ao início da noite desta terça-feira, no FeelViana Sport Hotel. No seu discurso, José Maria Costa começou por brincar com a falta de vento que marcou a etapa de Viana do Castelo que começou no dia 07 mas que só esta terça-feira foi brindada com a presença do vento.

“O vento foi uma personalidade ausente, mas essa ausência até foi importante para que os participantes no campeonato pudessem conhecer um pouco melhor o nosso concelho”, ironizou o autarca socialista.

O autarca socialista referiu que a prova só foi possível “graças ao grande empenho e ao esforço conjunto” da organização, o FeelViana Sport Hotel, a Federação Portuguesa de Vela, o Clube de Vela de Viana do Castelo e a Capitania.

José Maria Costa realçou que o concelho vai ser placo, este não de cinco provas mundiais de desportos náuticos.

“Este ano Viana do castelo é a capital da náutica. Eventos desta natureza demonstram que temos capacidade instalada, clubes e associações capazes de se mobilizarem para, em conjunto, realizarem provas deste género dando uma imagem muito positiva do nosso país”, frisou.

O CEO do FeelViana Sport Hotel, José Sampaio admitiu que “os primeiros dias não foram fáceis por causa da falta de vento” mas adiantou que esta terça-feira, “o vento finalmente apareceu e permitiu que a etapa de Viana do Castelo fosse condensada num único dia e decorre cin condiuções perfeitas”.

José Sampaio voltou a agradecer o apoio da Câmara que, “desde a primeira hora esteve connosco e com o grupo GKA na organização desta etapa”.

O representante da GKA, Joergen Vogt também destacou a ausência de vento mas realçou que, no fim, “tudo acabou muito bem”.

“Conseguimos. No último dia mas conseguimos. Muito obrigada ao Deus do Vento. O vento veio no último dia para podermos ter um pódio”, afirmou.

Joergen Vogt agradeceu ainda ao presidente da Câmara de Viana do Castelo, cidade que classificou de “maravilhosa”.

“Tivemos pouca sorte com o vento mas tivemos uma oportunidade de descobrir esta cidade e este país maravilhoso. Se tiverem oportunidade de ficarem mais uns dias desafio-vos a pegarem numa bicicleta e a partirem á descoberta deste território”, disse o responsável, dirigindo-se aos atletas e aos participantes na cerimónia de entrega de prémio.

Joergen Vogt terminou a sua intervenção dizendo: “Regressamos para o ano”.

RAM -
RAM -

PUBLICIDADE

Blisq Creative