Quantcast
EMISSÃO ONLINE
OUVIR..
Nacional

Água não faturada representou perdas de 347 milhões de euros em 2021

Rádio Alto Minho

22 Março 2023, 9:41

Acessibilidade

Publicidade

Elevadas perdas de água foram detetadas em 80% dos municípios, anunciou a associação Zero, segundo a qual a água não faturada, em 2021, representou perdas económicas de 347 milhões de euros.

A partir de uma análise ao Relatório Anual dos Serviços da Água e Resíduos de Portugal, efetuado pela Entidade Reguladora da Água e dos Resíduos (ERSAR), a associação ZERO sente que a sustentabilidade dos serviços foi comprometida pelas perdas de água, anunciou em comunicado.

“Das 76 entidades gestoras, em baixa, com cobertura de gastos deficitária, 60 apresentaram também elevadas perdas de água (não faturada)”, destacou a ZERO.

A água não faturada representa toda a água que, depois de captada, tratada, transportada, armazenada e distribuída, não chega a ser faturada, quer pelas perdas reais, quer pelo uso autorizado ou não autorizado, sublinhou a organização.

A água não faturada tem rondado, ao longo da última década, 30% da água que entra no sistema, o que, em 2021, no serviço em baixa, correspondeu a 237 milhões de metros cúbicos, representando perdas económicas de cerca de 347 milhões de euros, tendo em conta o preço médio do serviço de abastecimento de água, especifica-se no documento.

Segundo a associação de defesa do ambiente, as entidades gestoras praticam “tarifas incapazes de garantir a cobertura integral dos gastos”. A maioria funciona em sistema de gestão direta pelos municípios, que “recorrem frequentemente aos orçamentos municipais para subsidiar os serviços de forma pouco transparente, desviando verbas que poderiam apoiar de forma mais eficaz o desenvolvimento económico dos territórios”, na opinião dos ambientalistas.

“Esta situação é agravada pelo limitado poder regulatório que a Entidade Reguladora possui em relação às tarifas aplicadas, traduzindo-se num incumprimento generalizado dos princípios do utilizador-pagador e do poluidor-pagador previstos na Lei de Bases da Política de Ambiente”, lê-se no comunicado.

“A recuperação dos gastos pelas entidades gestoras pela via tarifária e o consequente e significativo aumento das tarifas imputadas aos consumidores, é uma medida que a Zero vê como absolutamente necessária, pese embora tenha de ser aplicada com garantias da existência de tarifários que discriminem positivamente os cidadãos mais desfavorecidos e as entidades da economia social”, sustentou a organização.

Publicidade

Breathe Viana

Publicidade

Rádio Alto Minho - Casa Peixoto
Rádio Alto Minho - Blisq Creative – Agência de Comunicação

Publicidade

Rádio Alto Minho - Census – noticia
Rádio Alto Minho - Hospital Particular 01
Rádio Alto Minho - Petropneus NOTICIAS

Publicidade

Rádio Alto Minho - Auto Valverde Geral
Rádio Alto Minho - VHC REMODELAÇÕES

Publicidade

Rádio Alto Minho - Carclasse (noticias)

APP ALTO MINHO

APP - Rádio Alto Minho

Publicidade