Estamos a melhorar a sua experiência no nosso site.
Novidades brevemente!

Rádio Alto Minho

PUBLICIDADE

Desentupimentos e Limpeza de Fosas, Assistência a Caldeiras, Detecção de Fugas de ÁguaDesentupiemntos Industriais e DomésticosAssistência Cladeiras e Esquentadores
Rádio Alto Minho - Roady
Rádio Alto Minho - INSOMNIA
Rádio Alto Minho - MCostas – Seat
Locutor
No Ar

Rádio Alto Minho

Classificação de castelo de Penha da Rainha, em Monção, lançada a consulta pública

de Andrea Cruz (RAM)

atualizada às 12:01,Qua, Março, 2018

PUBLICIDADE

A classificação do castelo de Penha da Rainha, em Abedim, Monção, como Sítio de Interesse Público (SIP) encontra-se em fase de discussão pública a partir de hoje e durante 30 dias, indica um aviso publicado em Diário da República.

O aviso foi hoje publicado em Diário da República e refere que a classificação, “fundamentada” num parecer da secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura, datado de junho de 2017, foi proposta pela Direção-Geral do Património Cultural ao ministro da Cultura.

Também conhecido por Castelo de São Martinho da Pena, em São Martinho, na freguesia de Abedim, concelho de Monção, distrito de Viana do Castelo, o imóvel está “implantado no topo de um maciço granítico – o alto de São Martinho ou Penha da Rainha – é de difícil acesso mas proporciona excelente visibilidade da área envolvente.

De acordo com a resenha histórica publicada no sítio na internet da Junta de Freguesia de Adedim, “antes mesmo do surgimento da povoação de Monção, Penha da Rainha já se constituía em julgado com o mesmo nome cuja área abrangia o atual concelho de Monção até ao rio Mouro, a terminar em Merufe”.

A referência “mais antiga ao seu castelo encontra-se na “Chronica Adefonsi Imperatoris” (“Crónica do imperador Afonso”, autor anónimo, meados do século XII), que relata os fatos do reinado de Afonso VII de Leão e Castela (1126-1157), no trecho relativo à campanha de Val-de-Vez”.

“Extinto o julgado, desapareceu o povoado agreste da Penha da Rainha. Quando os reis de Portugal fortificaram a fronteira ao correr do rio Minho, o velho castelo caiu em ruínas. Nos princípios do século XVIII, o pároco de Abedim aproveitou-se das esquecidas pedras para obras na sua igreja”, lê-se na publicação.

O processo de classificação daquela fortificação como SIP (fundamentação, despachos, planta com a delimitação do sítio e da respetiva zona geral de proteção) está disponível nas páginas eletrónicas da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), da Direção-Geral do Património Cultural e da Câmara Municipal de Monção.

FOTO :geocaching.com

RAM -
RAM -
RAM -
RAM -

PUBLICIDADE

Blisq Creative